Sistema Carcerário e Maioridade Penal – debate entre banda Terminal Guadalupe e deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Neucimar Fraga (PR-ES)

Os deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Neucimar Fraga (PR-ES), a banda Terminal Guadalupe, além do especialista do Unicef, Mário Volpi, e a professora Míriam Guindani discutem o sistema carcerário no Brasil e as vantagens e desvantagens da redução da maioridade penal para 16 anos. Eles debatem com os estudantes do Centro de Ensino Médio 02 da Ceilândia e do Colégio INEI.

O deputado Reginaldo Lopes é coordenador da Frente Parlamentar em Defesa das Políticas Públicas de Juventude e é suplente da Comissão de Educação e Cultura. E o deputado Neucimar Fraga é membro da Comissão Especial destinada a dar parecer sobre a PEC que cria as polícias federais e estaduais penitenciárias, e também faz parte da Subcomissão Especial de legislação penal e processual penal. Já Mário Volpi é Coordenador do Programa Cidadania dos Adolescentes do Unicef no Brasil e Míriam Guindani é professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutora em Serviços Sociais.

A música que pauta a conversa, “Pernambuco Chorou”, mostra a realidade de um preso que passa seus dias contando o tempo dentro de uma prisão. Em sua análise ele diz: “Minha vida virou um nó!” – tema do programa Câmara Ligada.
Radicada em Curitiba, a banda Terminal Guadalupe é formada por Dary Jr (voz e letras), Allan Yokohama (guitarra e voz), Fabiano Ferronato (bateria) e Rubens K (baixo), além do guitarrista Lucas Borba. A banda vem lapidando seu repertório desde 2003, quando o vocalista Dary Jr. lançou o CD “Burocracia Romântica”, trilha sonora de um curta-metragem homônimo. Na seqüência, vieram a coletânea “Girassóis Clonados” (2004) e o premiado “Vc Vai Perder o Chão” (2005). Lançados de forma independente, os discos conseguiram o respeito da imprensa (a Folha de S. Paulo, a revista Bizz e os críticos/escritores Arthur Dapieve e Tárik de Souza já renderam elogios ao grupo). E dos fãs também, que elegeram “Vc Vai Perder o Chão” como o Melhor Disco Independente de 2005, em votação da revista Laboratório Pop. Já tocaram em várias cidades do Brasil, como Florianópolis, Corumbá, Londrina, Brasília e Rio de Janeiro entre outras.