Latinidades

O Brasil faz fronteiras com dez países, mas é difícil encontrar alguém que conheça bem nossos vizinhos. Na escola a gente estuda muito pouco sobre eles, talvez apenas sobre a Guerra do Paraguai e olhe lá. Além disso, há dificuldade de transporte, da diferença de idioma e uma certa dose de preconceito já que as populações são em sua maioria indígenas. Diferente do espírito aventureiro dos jovens da década de 60 que queriam a união da América do Sul, os jovens de hoje se interessam mais em conhecer os Estados Unidos e a Europa.

Não há mal nisso, mas é curioso a falta de interesse pelos nossos vizinhos já que eles estão mais perto. Outro fato que chama a atenção é que não é fácil ter acesso à produção cultural, sejam filmes, música ou teatro, dos países com quem fazemos fronteira. De fato, parece que damos as costas para eles e olhamos para o outro lado do Atlântico. O lado do hemisfério norte, claro! O Câmara Ligada debateu sobre esse traço do brasileiro e procurou saber dos nossos hermanos o que eles acham do brasileiro e do Brasil. Somos subimperialistas ou irmãos de fato?

Latinidades foi o tema e contou com a participação da pesquisadora e jornalista Priscila Midori, do Projeto Nosostros, além do senador Cristovam Buarque, e do pró-reitor de graduação da UNILA, Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Marcos Xavier. Na platéia, alunos do CEM 111, do Recanto das Emas, CEM Setor Oeste e CEM Elefante Branco.

Cristovam Buarque

Priscila Midori

Marcos Xavier

A atração musical ficou por conta da banda carioca El Efecto, que agitou a galera c0m a sua mistura harmonizada de ritmos.