Brigar pra quê?

Foto: Sérgio Vinícius

Com muitos meninos e meninas chegando na plateia, o Câmara ligada foi se desenhando. A Banda Sabonetes fez o favor de animar a todos com um rock dançante.

O tema do programa foi intolerância entre jovens. Fato que tem tomado conta dos noticiários diários e faz parte do dia a dia de todos os adolescentes contemporâneos. A briga naquela balada, roda punk, bullying, grupos de torcidas organizadas, tudo foi abordado por especialistas e estudantes que marcaram presença no estúdio do Câmara Ligada.

A apresentadora Evelin Maciel conduziu o programa do início ao fim com muita simpatia e sem deixar a bola quicar no chão.

O psicólogo Gilberto Mattje, convidado pelo programa para debater sobre o tema, arrancou risada de todos ao afirmar “Costumo falar que os brigões de festa são os ‘pega ningúem’. Ele não conseguiu fazer nada a festa toda e aí ele parte para violência para chamar atenção”, enfatizou com muito bom humor.

A deputada Teresa Surita (PMDB-RR) explicou um pouco mais sobre a Lei da Palmada, aprovada em 2011. A deputada foi relatora da lei e disse que a imprensa interpretou errado a essência do que foi proposto. “Nunca se falou sobre palmada em si, só queremos passar a paz entre as famílias. Falta discurso”, afirmou.

David Vega, estudante de Sociologia que já foi membro de grupos nacionalistas, afirmou que decidiu seguir sua vida, por isso abandonou a ideologia. “Tem um momento que você vê que não existe só uma linha, só um pensamento. Resolvi não viver mais em torno de uma ideologia e sim viver minha vida”, disse o jovem.

Tudo foi finalizado mais uma vez com muita animação da banda Sabonetes. Juntos, todos escorregaram para o lanche e terminaram a tarde da sexta-feira de barriga cheia e sorriso estampado no rosto.

Por Sérgio Vinícius

** Sérgio Vinícius foi blogueiro convidado do Câmara Ligada. Ele é estudante de Comunicação Social e faz parte do grupo de torcedores que organiza o blog do time do Gama: www.blogama.net