Bastidores do Programa Arte na Rua

A blogueira convidada para atualizar o nosso blog durante a gravação do programa sobre a arte que é feita nas ruas  foi a Patrícia Del Rey. Ela se autodenomina ” Ora poeta, ora atriz”  e tem o blog: http://entreaberta.blogspot.com/ . Confira o texto dela!

Essas ações são chamadas de intervenções urbanas. Elas transformam e embelezam a cidade. É como se a obra artística dependesse da rua para existe. A rua é parte fundamental da obra. A efemeridade, cantada por Tulipa, também está relacionada a esse fazer artístico. A Arte está ali, estampada no concreto, pedindo para ser apreciada, notada, percebida. Para assistir, basta abrir os olhos e encarar a cidade. Mas se você não tiver aberto para cidade, a arte passa e você não percebe. A arte se dá só pra quem se interessa, pra quem abraça a cidade como casa. A rua é o lugar do encontro e da cidadania. Ela é nossa.

Enquanto eu digito essas linhas, a deputada Jandira Feghali (PC do B – RJ), convidada do programa, relata a necessidade de se manter a rua aberta para as intervenções urbanas, e, sobretudo a importância de existir apoios governamentais para esse fazer artístico.

A professora/artista Bia Medeiros disse algo muito interessante: a arte não apenas interage na rua, mas ela também compõe o cotidiano. O empresário que passa pela rodoviária e vê uma artista passando com 20 galinhas, pode não perceber que aquilo é uma obra de arte, mas de alguma forma o questionamento da obra já passou pela sua cabeça. Ele se pergunta: Porque esse maluco tá com um monte de galinha pendurada?! E segue o seu dia, provavelmente ele inclusive vai relatar o fato para sua família mesmo sem saber que aquilo é uma obra de arte.

Aqui no programa, a Andaime está realizando um SQF, queremos realizar uma festa de aniversário, sem que a produção e apresentadora, saiba o que está acontecendo. A Tatiana, atriz com bolo, vai tentar encontrar um aniversariante aqui na platéia, se a tal pessoa aparecer, a gente canta os parabéns. Senão, o SQF será realizado fora do programa, nos corredores da Câmera. Enquanto isso, o programa continua com os nossos balões de gás Helio enfeitam a decoração. O diretor Francis Wilker fala sobre o Teatro de Invasão,  que muitas vezes, utiliza a cidade como dramaturgia. Os atores criam a obra sobre a cidade e para a cidade.  Criando beleza para quem passa.

As perguntas continuam dentro do programa, e o debate sobre a arte se aprofunda. Tatiana consegue o microfone e realiza a nossa ação: ” Tulipa Ruiz, é seu aniversário?” A simpatia da cantora encanta e ela compra a nossa ação. Diz que é aniversariante. Palmas gerais. Confusão. Euforia. Nossa atriz, pede então o RG. Mais risos. “Não há nenhum aniversariante na plateia?” Não. Nada de parabéns, então. Nossos atores seguem para os corredores da Câmera. Eu continuo no estúdio, relatando nesse blog, o programa. Tulipa canta mais uma música, eu cantarolo no computador. A platéia vibra. Seguimos efêmeros e felizes! =]!

Patricia Del Rey