Bastidores: Iniciativas, aprendizado é criatividade

O rapper Japão, vocal na banda Viela 17, criou o projeto “rap com ciência”, que construiu, junto com jovens de escolas públicas do DF, um cd com músicas relacionadas a assuntos estudados em sala de aula.
Outra iniciativa bacana foi um trabalho feito pelos alunos da escola Júlia Kubitschek sobre o bullying, uma amostra da inserção da tecnologia na escola.
Vale conferir:
Lágrimas de Sangue no Diário de Sofia – CEM JK


Há diversos projetos nesse sentido que estão sendo desenvolvidos, cada um usando os recursos que pode e sempre com muita criatividade. Todos esses novos recursos, seja a tecnologia, a integração escola-arte ou qualquer outra inovação que a escola implementa, partem da idéia que tornar o ensino atrativo para os alunos é a melhor maneira de ajudá-los a aprender efetivamente.

Blogueira: Júlia David