Audiovisual

Por:Weberson Maciel

Iniciando esse papo, galera, venho primeiramente me apresentar: sou Weberson Maciel, sou Editor de vídeos da Central Única das Favelas do Distrito Federal – a CUFA-DF. E esse papo de audiovisual chegou em minha mente como uma brincadeira e hoje se torna um modo de manifestação o qual uso para passar meu ponto de vista para o mundo através de uma filmadora.
Minha trajetória se iniciou no ano de 2008 quando jogava basquete de rua, e por um convite fui voluntariar em um evento da CUFA-DF conhecido como Cine Periferia Criativa(festival de vídeos produzidos por jovens de periferia realizado anualmente pela CUFA-DF)no qual participei de uma oficina de vídeos, que engajou em jovens a arte da filmagem e acabou gerando a produção de um grupo conhecido como NaKaraDura produções, para o qual já produzimos curtas-metragens e estaremos lançando um filme cujo nome será “Saidão”. Atualmente estou concluindo um curso em edição de vídeo na OZI Escola de Audiovisual de Brasília, à qual agradeço muito a oportunidade pois sou bolsista. E por fim convido a todos voçês a conhecer mais sobre a CUFA e meus trabalhos, no site:www.cufadf.com.br/
A bancada deste programa é formada pelo Deputado Gerado Magela, pela banda InNatura, o cineastra Cadu Barcelos e o cineasta Adirley Queiroz. Na plateia encontramos a Escola Municipal Presidente Vargas e a Escola Municipal São Miguel da cidade de Nova Ponte-MG, pela ONG Brasil Eu Acredito, pela escola Paulo Freire e o Movimento de Inovação do Brasil.
O audiovisual é uma arte de difícil acesso a jovens de periferia, gerando uma relação e um paradoxo de ideias e pespectivas sobre o que seria o relato fiel de uma vida através de uma tela de cinema, TV ou computador.
O programa enganjou durante seu desenrolar essa dificuldade e necessidade dos jovens de classe baixa da periferia brasileira de ter acesso ao audiovisual e valorizar as produções brasileiras. Conto com a participação direta da plateia que formulou perguntas criativas com o assunto abordado, levando à conclusão de que ali havia pessoas de conhecimento amplo e direcionado ao tema. Foi defendida uma implantação de cinema para a periferia que sofre com essa escassez de mídia em seu lugar na sociedade. O desenvolver dos fatos foi de amplo conhecimento e de forma criativa e saudável, totalmente voltada à arte da filmagem e elogiada pelo Deputado Geraldo Magela, ao afirmar que “O audiovisual e uma das manifestações artísticas mais completas encontrada no mundo, a qual gera uma libertação e crescimento para com a mídia relacionada”.
Todo grande foco foi direcionado às produções periféricas, e a grande dificuldade de acesso dos jovens a este ramo tecnológico, embora hoje encontremos grande facilidade na hora da filmagem graças à tecnologia. O calcanhar de Aquiles se encontra na divulgação e na implementação de algo mais complexo.
Por fim e como conciderações deixo a seguinte frase de reflexão: “O mundo já retratou a periferia, agora as posições se inverteram”. Pare, pense. A revolução se faz pela luta, hoje o impossivel passa apenas de uma palavra muito grande que pessoas muito pequenas usam para nos oprimir e tentar omitir nosso ponto criativo de mídia, então lute pelos seus sonhos e faça com que eles se realizem. Chega de o mundo mostrar nossa face com a pespectiva e visão deles, o mundo e nosso, nós criamos o Brasil e chegou a nossa vez de retratar o mundo. Basta você querer e acreditar.